Proposta Pedagógica

.

CONTEXTO DA EDUCAÇÃO NUM MUNDO EM MUDANÇA


Os desafios da contemporaneidade


A realidade se apresenta de forma complexa e a mudança influencia os conteúdos do pensamento e a experiência da vida cotidiana. Assiste-se a um perigoso desequilíbrio entre as possibilidades técnicas e a consciência ética. A grande rede eletrônica transforma o planeta, difunde o fenômeno da globalização e, sobretudo, reduz as distâncias e reorganiza o tempo.

Coordenadas do mundo juvenil

Num tempo de grande complexidade e de crise antropológica, não é possível descrever a cultura juvenil sem incorrer em generalizações indevidas. Nem é possível pensar nos jovens como uma faixa etária homogênea. Na verdade, podem ser muito diferentes, por diversos motivos: individuais, familiares, econômicos, culturais, religiosos.
Existe um contexto mundial, com seus dinamismos e incertezas, suas possibilidades e seus riscos, de onde emerge fortemente o anseio da paz e da justiça.

Sociedade multicultural

O mundo se tornou um sistema de interações de tipo novo e de nova intensidade, o que o torna muito diferente daquele do passado em que as mudanças culturais eram mais contidas no tempo e no espaço. Constatamos o fenômeno da mobilidade geral e o ambiente cultural, relacional, territorial, comunitário em que se dá o processo de crescimento é fruto desses fluxos e das transformações culturais que eles produzem.

Novo tipo de comunicação


Fala-se sempre mais frequentemente de lugares onde muitos jovens fazem morada. A maciça presença dos meios eletrônicos, mesmo nos países pobres, a telefonia móvel, o rádio, a TV, a música, o playstation, as revistas, os quadrinhos são uma espécie de oceano onde o jovem navega com frequência cada vez maior. Nele é possível sair da realidade ou usar novos modos de comunicar que permitem viver situações inéditas, encontros variados e emoções intensas. As comunidades virtuais que podem surgir, permitem escapar da solidão, estabelecer contatos diferentes. Ainda não somos capazes de prever o peso dessas novidades revolucionárias sobre a vida das novas gerações, mas certamente teremos de nos defrontar com o surgimento de um novo tipo de comunicação e de contato com a realidade.

Recursos e limites da pluripertença

Entre globalização e localização, os jovens fazem a experiência de diferentes pertenças na sociedade. As modalidades de participação juvenil nas associações e grupos organizados são caracterizadas pela fluidez. Nota-se falta de continuidade nos contatos, e as pertenças nem sempre são envolventes. No entanto, a pluripertença pode representar também o antídoto ao fechamento egoísta no grupo familiar ou dos amigos e sinaliza uma abertura para situações diferentes.

Incerteza nas escolhas

A precariedade é o denominador comum que aflora em qualquer âmbito em que a pessoa vive ou trabalha. O percurso de crescimento dos jovens é marcado pela dificuldade de projetar o futuro. É precária a relação estudo-trabalho, sucesso profissional-reconhecimento social e estabilidade econômica. Tal incerteza de fundo se reflete sobre os sentimentos e sobre as decisões. Embora gerando indiscutivelmente várias consequências negativas, a precariedade apresenta alguns significativos aspectos positivos: estímulo à busca, desejo de colocar à prova as próprias qualidades e capacidade de adaptação, necessidade de trocar de ambiente, ocasião para fazer confrontos úteis, estabelecer contato com várias pessoas, maior maleabilidade.

Abertura ao desejo de Deus

A busca de espiritualidade deriva da experiência da precariedade. Não é ainda uma procura de fé, mas abertura ao desejo de Deus que, muitas vezes, se identifica com a beleza, a felicidade, o amor, a solidariedade. Surgem novos modos de entender Deus que estão longe da visão revelada por Jesus. A imagem de Deus que se está afirmando é, muitas vezes, a panteísta.

Proposta Educativa

Numa cultura caracterizada por uma profunda crise antropológica, não é fácil entender quais sejam os passos a serem dados para uma proposta de qualidade de vida, especialmente para os cristãos, em vista de um encontro com Jesus, autor da vida.

Presença do educador

Os educadores salesianos têm a consciência de que o grande desafio que afronta, hoje diz respeito à re-compreensão de sua presença enquanto educador e enquanto capaz de trabalhar em sinergia.
Numa sociedade em que cresce o fenômeno dos meninos e meninas de rua, de famílias desestruturadas ou com reduzida convivência familiar, a comunidade salesiana sente-se convocada a ser casa de quem não tem casa, a desenvolver uma pedagogia do ambiente, em que se experimente o espírito de família2, feito de acolhimento, confiança, corresponsabilidade.

Arte da escuta e da comunicação

A escuta é a primeira atitude requerida para entrar em contato com a juventude. O anúncio e o acompanhamento começam por essa atenção silenciosa e cheia de amor às necessidades, mesmo às não manifestadas.
Ligada à escuta, está a exigência de comunicação. Os jovens têm o desejo de contato, de diálogo através de todos os canais, seja o “cara a cara”, seja o medido pelas new media. Estes têm a vantagem de chegar inclusive aos não lugares, onde a maioria vive, fora dos espaços da família e da escola.
Integrando escuta e comunicação, pode-se garantir uma continuidade no tempo, estar presente também em horas preferenciais para o mundo juvenil e chegar a espaços diferentes dos lugares vitais que, de outro modo, seria impossível abordar.

Busca de sentido

Segundo a tradição salesiana, a alma da educação é a paixão pelos jovens, a arte de demonstrar confiança neles, de amar aquilo que eles amam, de acompanhá-los na busca de sentido. Hoje em dia essa busca torna-se particularmente complexa em vista da ênfase do subjetivismo, mas justamente na situação de relativismo existencial é que nasce, muitas vezes, a exigência de buscar um fundamento que abra para horizontes mais vastos.
É tarefa da educação estimular, acompanhar a busca para chegar a construir aquele sentido profundo da realidade que faz viver plenamente.
Diante de tais exigências, revela-se necessária uma sólida formação de educadores, na ótica do Sistema Preventivo3 como espiritualidade e método.

Juntos para uma cidadania ativa

Estamos conscientes de que trabalhar juntos, com um senso de abertura à missão, leva a responder às demandas concretas dos jovens. O espírito colaborativo além de enriquecedor, favorece a dimensão integral da educação a que nos reenvia continuamente ao sonho de nossos fundadores, D.Bosco e M.Mazzarello.